Ex-mulher de Bolsonaro disse que NÃO FALOU com nenhum cônsul ou vice.

Ontem (25/08/2018) a Folha de S.Paulo soltou a seguinte machete: “Ex-mulher afirmou ter sofrido ameaça de morte de Bolsonaro, diz Itamaraty”.

O problema é que na mesma matéria, Ana Cristina Valle desmentiu a informação, mas mesmo assim o jornal manteve a manchete que claramente denigre a imagem do candidato que é líder nas pesquisas presidenciais de 2018.

Ana Cirstina Valle ex mulher Bolsonaro 720x464 Ex mulher de Bolsonaro disse que NÃO FALOU com nenhum cônsul ou vice.

A matéria da Folha se apoia em um bilhete, isso mesmo, um bilhete que o Itamaraty teria recebido da embaixada na Noruega, veja:

“A senhora Ana Cristina Siqueira Valle disse ter deixado o Brasil há dois anos [em 2009] ‘por ter sido ameaçada de morte’ pelo pai do menor [Bolsonaro]. Aduziu ela que tal acusação poderia motivar pedido de asilo político neste país [Noruega]”, diz o telegrama.

Atualmente Ana Cristina, ex-servidora da Câmara Municipal de Resende (RJ), usa o sobrenome “Bolsonaro” e é candidata a deputada federal pelo Podemos. Ela disse apoiar a candidatura do ex-marido ao Planalto e considerou “superado” o episódio na Noruega, apesar de ter admitido ter sido pressionada por ele à época.

E claro, na mesma matéria a Folha colocou a informação que é a manchete dessa matéria aqui, ela deixou claro que NÃO falou com ninguém, que quem falou foi seu marido norueguês, que negou ter passar qualquer informação relacionada a ameaça de morte, segue o trecho da matéria:

“Ela disse que a ligação telefônica dada pelo pessoal da Embaixada foi para seu marido norueguês, e não para ela”.

Ana Cristina disse por mensagem de aplicativo de telefone celular que “não falou com nenhum cônsul ou vice”. Ao questionar o marido, ele afirmou pra ela que não passou essa informação e ainda completou: “Vocês estão pegando pesado com isso”!

As perguntas que temos pra esse faro lamentável:

  • Por que a Folha de S.Paulo soltou uma manchete dessas em que a suposta vítima afirma que a informação não procede?
  • A quem interessa que um jornal produza conteúdo desse tipo?
  • Quem da embaixada liberou essa informação?

Segue a declaração dela em vídeo: